Que bom que você está aqui!

É com prazer que te recebo neste espaço! Esta "casa" virtual está em permanente construção e em cada "cômodo" há uma inquietante necessidade de fazer diferente! Meus textos, relatos e imagens buscam apresentar a você os passos que constituem minha caminhada pessoal, profissional e acadêmica. A partilha que faço não intui caracterizar-se por uma postura doutrinária, autoritária ou impositiva-opressora, mas ao contrário, apresenta-se como ato solidário (jamais solitário) de contribuição à discussões humanas, planetárias e éticas!

Como educador me vejo no compromisso de participar do processo histórico de libertação dos oprimidos, marginalizados e esquecidos, a começar por mim. Despindo-me de qualquer resquício de arrogância, prepotência e soberba apresento-me como aprendente num contexto de intensa renovação de conceitos e atitudes!

Assim lhe convido a juntos pensarmos em nossa condição de partícipes da grande Salvação! Salvação plena do homem e da mulher místicos, políticos e planetários!

Fraterno abraço!




Casa Rosada - sede do governo argentino. Em frente está a Praça de Maio. É um local em que é possível conhecer um pouco da história e da cultura argentina.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Plano de ensino de ciências

PROFESSORES:
MORGANA BECKER HINSCHING
NILTON BRUNO TOMELIN.


Benedito Novo, fevereiro de 2010


PRESSUPOSTOS FILOSÓFICOS DA DISCIPLINA DE CIÊNCIAS

O ensino como um todo traduz uma potencialidade criativa de promover uma ação efetiva em favor de uma (trans)formação antropo-social. Este propósito se torna ainda mais eminente no processo de discussão dos temas e conceitos relativos à disciplina de ciências. Esta disciplina caracteriza-se por despertar uma certa curiosidade “natural” derivada de conhecimentos do senso comum.

Há uma tendência em se imaginar popularmente que a ciência (disciplina) tem por “obrigação” explicar fenômenos. Isto facilita o processo por um aspecto, pois já há uma tendência a se buscar este conhecimento, e por outro aspecto gera uma responsabilidade ainda maior, pelo fato de tratar de tópicos, fenômenos e conceitos muito próximos da realidade cotidiana. As afirmativas anteriores, não tendem a supor que as outras áreas do saber não tenha as mesmas características citadas. O que se pretende é afirmar que tem-se um contexto muito particular, com o qual deve-se contar. Cabe ao educador e a educadora permitir que o saber seja tratado de forma próxima ao cotidiano do educando e da educanda. De acordo com FROTA-PESSOA, GEVERTZ e SILVA (1979, p. 62)

“Outro vicio das aulas tradicionais de ciências é que o professor se interpõe entre a natureza e o aluno, cuidando servir de interprete; mas consegue apenas funcionar como barreira que oculta ou deforma a realidade”.

Dito isto, cumpre-nos dizer que o ensino de ciências (assim como o ensino em geral) é por excelência uma atitude de comprometimento e reflexão sobre a condição do homem e da mulher no planeta. Não se trata meramente do trato de fenômenos naturais, de fundo ambientalista, mas numa compreensão ecológica da realidade em que vivemos. Esta tendência carrega consigo discussões de ordem social, política, econômica e antropológica, uma vez que estudos atuais vem percebendo que os problemas ambientais são amplamente multidisciplinares. Não cabe mais uma discussão compartimentalizada, mas um estudo transdisciplinar, envolvendo a complexidade e a ética do saber numa profundidade necessária e essencial a este propósito.

O Ensino de ciências no ensino fundamental não deve ser encarado como um complemento do que se trata em outras disciplinas, mas como uma proposta, em que se quer desenvolver no indivíduo (discentes), importantes alterações de concepção e leitura de mundo:
 Compreensão de sua inclusão no meio ecológico;
 Análise de sua ação frente ao meio em que vive;
 Implicações econômicas, sociais, antropológicas e culturais das ações desordenadas sobre o meio ambiente;
 Capacitação do sujeito nos aspectos crítico, criativo e curioso, tornando agente de construção de novos conceitos;
 Reconhecimento das implicações ideológicas e intencionais que se mascaram na seqüência dos conteúdos;
 Compreensão do indivíduo numa totalidade, entendendo o homem como um ser bio-sócio-pscio-transcendente.

Assim contempla-se uma série de necessidades de toda a comunidade escolar. De acordo com D’AMBRÓSIO (1999, p. 15)
“... o professor deve subordinar sua disciplina, em particular os conteúdos, aos objetivos da educação e não subordinar a educação aos objetivos, à transmissão e aos avanços de sua disciplina. O aprendiz deve ser, como indivíduo, o determinante do conhecimento que lhe é transmitido”.

Isto não deve implicar, no entanto, numa renúncia à função da educadora e do educador, mas ao contrário, deve representar um passo decisivo em favor de uma educação impactante e comprometida. Uma outra expectativa criada diz respeito à necessidade de executar atividades experimentais no sentido de comprovar, testar e experimentar conceitos. Mas a experimentação não representa a compreensão de tal conceito, apenas permite uma fixação e conhecimento mais conforme afirma GURGEL (2000, p.20-1) quando diz que

“...não basta a aplicação de mecanismos mais amplos e completos para mudar e/ou inovar as práticas laboratoriais. É necessário ir além, sobretudo, com apoio das referências filosóficas e históricas da ciência, para entendermos o que se quer pesquisar,como, porque e, ainda, para que servirão os resultados da investigação. Esta dimensão vai possibilitar uma visão complexa, global (ou holística) dos problemas e ainda, uma ampliação da percepção critica sobre o método científico de alunos e professores frente às práticas experimentais da Física, porque o conhecimento cientifico não se constrói a partir do nada, ao contrário, ele apresenta um caráter social e histórico que deve ser levado em conta no processo ensino-aprendizagem”.

O resgate histórico de diferentes conceitos permitirá que se alcance um determinado grau de complexidade, que permite identificar razões para compreender o conhecimento tal qual temos hoje.

Uma forma importante e significativa de se buscar estes conceitos é a utilização das tecnologias no processo educativo. Assim é possível explorar diferentes universos e contextos não-físicos no sentido de garantir a compreensão da complexidade que envolve o universo humano e planetário. Segundo LEMOS (2006)

“O espaço do saber é criado a partir da expansão das mídias de comunicação e dos meios de transportes modernos (paradoxalmente existe um relação direta entre a locomoção e as mídias) e, principalmente com o nascimento de uma nova economia baseada na aceleração de trocas, na abolição de limites geográficos e com o surgimento do tempo real”.

Essa velocidade com que os acontecimentos se sucedem é fundamental para que a educação possa estabelecer um vinculo de interesses e curiosidades de tal envergadura que possa efetivamente ser vista como formadora de novos seres humanos.
































5ª SÉRIE - CONTEÚDOS

1º Bimestre
• Identificação dos conhecimentos reais, imaginários, lendas e mitos;
• Conhecimento popular e conhecimento científico;
• O conhecimento científico como fruto de um processo histórico;
• Implicações planetárias acerca do conhecimento científico;
• Identificação dos elementos transformadores de novos conceitos;
• Os seres vivos e o meio ambiente:
 Relações de dependência;
 Inter-relações e sobrevivência;
 Intervenções ambientais;
• A terra e a vida:
 Conceituação de vida;
 Implicações ecológicas do desenvolvimento dos diferentes tipos de vida;
 Intervenções ambientais e inter-relações ecológicas decorrrentes das diferentes formas de vida;
 Ecologia, a ciência que estuda o ambiente;
 Ecossistema: onde a vida acontece;
 Ecossistema: um espaço de interação e transformação orgânica;
• Cadeias alimentares: a transferência de materia e energia num ambiente.
• As relações entre os seres vivos – Harmônicas e Desarmônicas .

2º Bimestre
• Alterações do ambiente:
 Intervenção antrópica;
 Fenômenos ecológicos “naturais”;
 Processos de “acomodação” ambiental.
• Estudo do ar:
 Poluição e suas modalidades;
 Aplicações à física e à execução de atividades humanas;
 Elemento fundamental para a respiração humana.
• Importância do solo
 Utilização agrícola do solo;
 Elementos minerais presentes nos diferentes tipos de solos;
 A necessidades de se fazer análise do solo para melhorar o desempenho de determinadas culturas agrícolas;
 Formas de proteção do solo e preservação de recursos.
• Importância da água:
 Inserção da água na composição bioquímica dos diferentes tipos de seres vivos;
 Formas de poluição;
 Principais fontes e locais de armazenamento;
 Fenômenos climáticos relacionados à água.
• Reino das plantas:
 Características exclusivas dos vegetais;
 Diferenças entre os diversos grupos de vegetais;
 Relação entre os diferentes grupos de seres vivos e os vegetais.
• Os grandes grupos vegetais:
 Algas pluricelulares;
 Briófitas e pteridófitas, plantas sem flores;
 Gimnospermas e angiospermas

3º Bimestre
• Estudo da raiz:
 Estruturas principais de uma raiz;
 Diferentes tipos de raízes;
 Utilidades fisiológicas das raízes;
 Utilidades econômicas das raízes;
 Utilização da raiz como elemento de reprodução vegetativa.
• Estudo do caule:
 Estruturas principais de um caule;
 Diferentes tipos de caules;
 Utilidades fisiológicas dos caules;
 Importância da seiva para o vegetais;
 Utilidades econômicas dos caules;
 Utilização do caule como elemento de reprodução vegetativa.

• Estudo da folha:
 Estruturas principais de uma folha;
 Diferentes tipos de folhas;
 Utilidades fisiológicas das folhas;
 Importância da fotossíntese para os vegetais;
 Importância da fotossíntese para a vida no planeta;
 Utilidades econômicas dos caules;
 Utilização do caule como elemento de reprodução vegetativa.
• Estudo da flor:
 Estruturas principais de uma flor;
 Diferentes tipos de flores;
 Utilidades fisiológicas folhas;
 Processos de polinização como forma de perpetuação das espécies vegetais;
 Importância do pólen e dos óvulos para a perpetuação dos vegetais;
 Utilidades econômicas das flores;
• Estudo do fruto:
 Estruturas principais de um fruto;
 Diferentes tipos de frutos;
 Utilidades fisiológicas dos frutos;
 Formação da semente como forma de perpetuação da espécie;
 O fruto como reserva alimentar de diferentes tipos de novos vegetais;



4º Bimestre
• Estudo da semente:
 Estruturas principais de uma semente;
 Diferentes tipos de sementes;
 Utilidades fisiológicas sementes;
 Utilidades econômicas das sementes;
 Valores alimentares das sementes;
• Germinação como processo de formação de um novo vegetal;
• Os vegetais e o homem
• A distribuição da vida na biosfera
• Preservação da fauna e da flora
































5ª SÉRIE - OBJETIVOS

1º Bimestre
- Identificar os conhecimentos reais, imaginários, lendas e mitos dos próprios alunos;
- Diferenciar conhecimento popular e conhecimento científico;
- Compreender o conhecimento científico como fruto de um processo histórico de construção múltipla;
- Perceber as implicações planetárias acerca do conhecimento científico;
- Identificar os elementos transformadores de novos conceitos;
- Determinar as relações entre os seres vivos e o meio ambiente;
- Identificar as relações de dependência entre os seres vivos;
- Perceber as inter-relações e sobrevivência;
- Reconhecer as principais intervenções ambientais;
- Compreender as relações entre a terra e a vida;
- Conceituar vida;
- Determinar as implicações ecológicas do desenvolvimento dos diferentes tipos de vida;
- Reconhecer as intervenções ambientais e inter-relações ecológicas decorrrentes das diferentes formas de vida;
- Perceber a ecologia, a ciência que estuda o ambiente;
- Reconhecer um ecossistema como sendo o local onde a vida acontece;
- Identificar um ecossistema como um espaço de interação e transformação orgânica;
- Compreender os fenômenos de cadeias alimentares: transferência de materia e energia num ambiente;
- Diferenciar as relações entre os seres vivos em harmônicas e desarmônicas;

2º Bimestre

- Perceber as principais alterações do ambiente:
- Reconhecer as principais formas de intervenção antrópica;
- Compreender os fenômenos ecológicos “naturais”;
- Reconhecer os processos de “acomodação” ambiental.
- Aprimorar o estudo do ar;
- Reconhecer as causas de poluição e suas modalidades;
- Perceber as aplicações à física e à execução de atividades humanas;
- Compreender o ar como elemento fundamental para a respiração humana.
- Identificar a importância do solo;
- Apontar a utilização agrícola do solo;
- Identificar os elementos minerais presentes nos diferentes tipos de solos;
- Esclarecer a necessidade de se fazer análise do solo para melhorar o desempenho de determinadas culturas agrícolas;
- Apontar as formas de proteção do solo e preservação de recursos.
- Reconhecer a importância da água;
- compreender a inserção da água na composição bioquímica dos diferentes tipos de seres vivos;
- Identificar as mais variadas formas de poluição;
- Reconhecer as principais fontes e locais de armazenamento;
- Descrever os fenômenos climáticos relacionados à água.
- Conceituar reino das plantas;
- Enumerar as características exclusivas dos vegetais;
- Apontar as diferenças entre os diversos grupos de vegetais;
- Descrever a relação entre os diferentes grupos de seres vivos e os vegetais.
- Diferenciar os grandes grupos vegetais;
- Caracterizar algas pluricelulares;
- Compreender briófitas e pteridófitas, plantas sem flores;
- Diferenciar gimnospermas e angiospermas

3º Bimestre
- Caracterizar raiz;
- Identificar as estruturas principais de uma raiz;
- Diferenciar os tipos de raízes;
- Compreender as utilidades fisiológicas das raízes;
- Perceber as utilidades econômicas das raízes;
- Enunciar a utilização da raiz como elemento de reprodução vegetativa;
- Descrever o estudo do caule;
- Identificar as estruturas principais de um caule;
- Reconhecer os diferentes tipos de caules;
- Compreender as utilidades fisiológicas dos caules;
- Descrever a importância da seiva para o vegetais;
- Enumerar as utilidades econômicas dos caules;
- Compreender a utilização do caule como elemento de reprodução vegetativa;
- Enunciar o estudo da folha;
- Diferenciar as estruturas principais de uma folha;
- Reconhecer os diferentes tipos de folhas;
- Compreender as utilidades fisiológicas das folhas;
- Perceber a importância da fotossíntese para os vegetais;
- Compreender a importância da fotossíntese para a vida no planeta;
- Reconhecer as utilidades econômicas dos caules;
- Estabelecer a utilização do caule como elemento de reprodução vegetativa;
- Estabelecer o estudo da flor:
- Diferenciar as estruturas principais de uma flor;
- Diferenciar os tipos de flores;
- Reconhecer as utilidades fisiológicas folhas;
- Compreender os processos de polinização como forma de perpetuação das espécies vegetais;
- Identificar a importância do pólen e dos óvulos para a perpetuação dos vegetais;
- Enunciar as utilidades econômicas das flores;
- Aprofundar o estudo do fruto;
- Reconhecer as estruturas principais de um fruto;
- Diferenciar os tipos de frutos;
- Estudar as utilidades fisiológicas dos frutos;
- Estabelecer a formação da semente como forma de perpetuação da espécie;
- Compreender o fruto como reserva alimentar de diferentes tipos de novos vegetais;



4º Bimestre

- Estabelecer o estudo da semente;
- Reconhecer as estruturas principais de uma semente;
- Identificar os diferentes tipos de sementes;
- Apontar as utilidades fisiológicas sementes;
- Enumerar as utilidades econômicas das sementes;
- Compreender os valores alimentares das sementes;
- Reconhecer a germinação como processo de formação de um novo vegetal;
- Estabelecer as relações entre os vegetais e o homem;
- Compreender a distribuição da vida na biosfera;
- Reconhecer as formas de preservação da fauna e da flora
























6ª SÉRIE - CONTEÚDOS

1º Bimestre
• Conhecendo a diversidade da vida
• O papel do meio ambiente na diferenciação das espécies
• A integração entre os seres vivos como instrumento de formação de novas espécies
• Reconhecer um ser vivo
• Compreender semelhanças e diferenças entre os seres vivos
• Características dos seres vivos
• A origem da vida
• Teorias e explicações sobre a possível origem da vida
• A evolução dos seres vivos
• Classificação dos seres vivos

2º Bimestre
• Os vírus, estrutura e características
• Doenças causadas por vírus
• Moneras, estrutura e características
• Doenças causadas por bactérias
• Utilidades econômicas das bactérias
• Protistas estrutura e características
• Doenças causadas por protozoários
• Fungos estrutura e características
• Doenças causadas por fungos
• Utilidades econômicas dos fungos
• Os invertebrados
• As principais características dos invertebrados e seu papel na escala evolutiva
• Poríferos – cnidários ou celenterados
• Características e estruturas dos poríferos, celenterados
• Vermes (Platelmintos, Nematelmintos, Anelídeos)
• Principais doenças causadas por vermes
• Utilidades econômicas e ecológicas dos vermes

3º Bimestre
• Moluscos, estruturas e características básicas
• Utilidades econômicas e ecológicas dos moluscos
• Artrópodes – o maior grupo de seres vivos
• Principais grupos de artrópodes:
 Insetos: características, estruturas e doenças causadas por insetos
 Aracnídeos: características, estruturas e doenças causadas por aracnídeos
 Crustáceos: características, estruturas e utilidades econômicas
 Miriápodes: características, estruturas.
• Equinodermos: características, estruturas
• Grupo dos Vertebrados: características, semelhanças e diferenças
• Peixes:
 Condrictes: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos.
 Osteíctes: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos.


4º Bimestre
• Anfíbios:
 Anuros: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos.
 Ápodes: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos.
 Urodélos: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos.
• Répteis:
 Crocodilianos: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos, ações predadoras
 Quelônios: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos, motivos de sua extinção;
 Ofídios: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos, animais peçonhentos e produção de soros antiofídicos.
• Aves e suas características
• Aves – classificação:
 Ratitas: aves que não voam, suas características, sua importância econômica, etc.
 Carinatas: aves que não voam, suas características, sua importância econômica, etc.
• Mamíferos e suas características gerais
• Mamíferos – classificação: marsupiais, cetáceos, selênios, primatas, pecilodáctilos, artiodáctilos, etc.











6ª SÉRIE - OBJETIVOS

1º Bimestre
- Conhecer a diversidade da vida;
- Compreender o papel do meio ambiente na diferenciação das espécies;
- Estabelecer a integração entre os seres vivos como instrumento de formação de novas espécies;
- Reconhecer um ser vivo pelas suas características elementares;
- Compreender semelhanças e diferenças entre os seres vivos
- Identificar as características dos seres vivos;
- Conhecer as teorias sobre a origem da vida;
- Identificar as teorias e explicações sobre a possível origem da vida
- Compreender o processo de evolução dos seres vivos;
- Conhecer a forma e classificação dos seres vivos;

2º Bimestre
- Reconhecer os vírus pela estrutura e características;
- Identificar as doenças causadas por vírus;
- Conhecer os moneras pela estrutura e características;
- Compreender as doenças causadas por bactérias;
- Enumerar as utilidades econômicas das bactérias;
- Reconhecer os protistas pela estrutura e características;
- Caracterizar as doenças causadas por protozoários;
- Identificar os fungos, suas estrutura e características;
- Compreender as doenças causadas por fungos;
- Conhecer as utilidades econômicas dos fungos;
- Identificar o reino dos invertebrados;
- Reconhecer as principais características dos invertebrados e seu papel na escala evolutiva;
- Reconhecer os poríferos – cnidários ou celenterados;
- Perceber as características e estruturas dos poríferos, celenterados;
- Definir vermes (Platelmintos, Nematelmintos, Anelídeos);
- Compreender as principais doenças causadas por vermes;
- Reconhecer as utilidades econômicas e ecológicas dos vermes

3º Bimestre
- Identificar os moluscos, suas estruturas e características básicas;
- Reconhecer as utilidades econômicas e ecológicas dos moluscos;
- Caracterizar os artrópodes – o maior grupo de seres vivos;
- Identificar as principais grupos de artrópodes;
- Compreender os insetos, suas características, estruturas e doenças causadas por insetos;
- Reconhecer Aracnídeos por suas características, estruturas e doenças causadas por aracnídeos;
- Identificar crustáceos: características, estruturas e utilidades econômicas;
- Conhecer os miriápodes: características, estruturas;
- Compreender os equinodermos: características, estruturas;
- Diferenciar o grupo dos vertebrados: características, semelhanças e diferenças;
- Caracterizar o grupo dos peixes:;
- Identificar condrictes: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos;
- Conhecer osteíctes: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos;


4º Bimestre
- Caracterizar anfíbios;
- Identificar anuros: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos;
- Compreender ápodes: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos;
- Perceber urodélos: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos;
- Caracterizar répteis;
- Identificar crocodilianos: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos, ações predadoras;
- Reconhecer quelônios: estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos, motivos de sua extinção;
- Diferenciar ofídios quanto a estruturas, características peculiares, habitats, hábitos e ralação com outros seres vivos, animais peçonhentos e produção de soros antiofídicos;
- Identificar as aves e suas características;
- Classificar as aves;
- Identificar as ratitas: aves que não voam, suas características, sua importância econômica, etc;
- Compreender carinatas: aves que não voam, suas características, sua importância econômica, etc;
- Conhecer os mamíferos e suas características gerais;
- Caracterizar os mamíferos – classificação: marsupiais, cetáceos, selênios, primatas, pecilodáctilos, artiodáctilos, etc.

Obs: será realizada uma visita ao Zoológico de Pomerode conforme ANEXO I










7ª SÉRIE – CONTEÚDOS


1º Bimestre
• Origem da vida segundo teorias científicas
• Formação do corpo na fase embrionária
• Fases do desenvolvimento: pré-natal e ciclo vital
• Divisão geral do corpo humano
• Constituição anatômica do nosso organismo
• As células e os tecidos
• Célula, sua constituição e funções vitais
• Estruturas celulares (citoplasmáticas e nucleares), suas características e funções
• O microscópio
• Importância dos alimentos

2º Bimestre
• Digestão e sua fisiologia: produção de sucos digestivos e movimentos peristálticos;
• Os dentes: dentições, tipos de dentes, cuidados e estruturas
• Aparelho respiratório: esôfago, estômago, duodeno, intestino delgado, intestino grosso e ânus.
• Órgãos anexos: glândulas salivares, fígado e pâncreas
• Hepatite, pancreatite, gastroenterite, úlcera gástrica, etc
• Aparelho circulatório: coração, veias e artérias.
• Sangue: funções e características das hemáceas, leucócitos, plasma e plaquetas
• Doenças do sistema circulatório
• Defesas do nosso organismo: sistema imunológico, AIDS
• Aparelho excretor: mecanismos de funcionamento da retirada dos diferentes tipos de impurezas do nosso corpo.

3º Bimestre
• Funções de relação com o ambiente
• Os principais mecanismos de relação entre o ser humano com o meio ambiente
• Locomoções e ossos: estruturas químicas e mecanismos estruturais para a locomoção.
• Sistema muscular e seu papel na locomoção.
• Órgãos dos sentidos: órgãos e funcionamento da visão, audição, tato, paladar e olfato.
• O sistema nervoso e seus componentes: sistema nervoso central, sistema nervoso periféricos.
• Funções do cérebro, cerebelo e bulbo.
• Medula espinhal, nervos e receptores dos sentidos.
• O sistema hormonal: composição de glândulas e hormônios produzidos.
• Ação hormonal no desenvolvimento do corpo humano.
• Hereditariedade: transmissão de caracteres hereditários.

4º Bimestre
• Reprodução como fator de perpetuação da espécie
• Mecanismos naturais inerentes ao processo reprodutivo
• O sistema reprodutor: características, estruturas e sistema de funcionamento
• Fecundação e desenvolvimento embrionário
• Desenvolvimento do ser humano como ser em necessidade de se perpetuar
• Fases da vida humana e sua associação aos fenômenos naturais
• Doenças sexualmente transmissíveis
• Métodos contraceptivos
• Síndromes associadas à problemas correlatos à fecundação
• Doenças geneticamente transmissíveis como diabetes, câncer e outras doenças.


























7ª SÉRIE - OBJETIVOS


1º Bimestre
- Compreender a origem da vida segundo teorias científicas;
- Identificar a formação do corpo na fase embrionária;
- Conhecer as fases do desenvolvimento: pré-natal e ciclo vital;
- Estabelecer a divisão geral do corpo humano;
- Reconhecer a constituição anatômica do nosso organismo;
- Diferenciar as células e os tecidos;
- Estudar a célula, sua constituição e funções vitais;
- Identificar as estruturas celulares (citoplasmáticas e nucleares), suas características e funções;
- Identificar a importância dos alimentos para a estruturação de células e tecidos;

2º Bimestre
- Conhecer a digestão e sua fisiologia: produção de sucos digestivos e movimentos peristálticos;
- Caracterizar os dentes: dentições, tipos de dentes, cuidados e estruturas;
- Compreender as estruturas do aparelho digestório: esôfago, estômago, duodeno, intestino delgado, intestino grosso e ânus;
- Identificar as funções dos órgãos anexos: glândulas salivares, fígado e pâncreas;
- Caracterizar hepatite, pancreatite, gastroenterite, úlcera gástrica, etc;
- Compreender os órgãos do aparelho circulatório: coração, veias e artérias;
- Caracterizar os elementos estruturantes do sangue: funções e características das hemáceas, leucócitos, plasma e plaquetas;
- Identificar as doenças do sistema circulatório;
- Compreender as formas de defesas do nosso organismo: sistema imunológico, AIDS;
- Caracterizar o aparelho excretor: mecanismos de funcionamento da retirada dos diferentes tipos de impurezas do nosso corpo;

3º Bimestre
- Conhecer as funções de relação com o ambiente;
- Identificar os principais mecanismos de relação entre o ser humano com o meio ambiente;
- Reconhecer os meios de locomoções e ossos: estruturas químicas e mecanismos estruturais para a locomoção;
- Identificar o sistema muscular e seu papel na locomoção;
- Compreender as características do órgãos dos sentidos: órgãos e funcionamento da visão, audição, tato, paladar e olfato;
- Descrever o sistema nervoso e seus componentes: sistema nervoso central, sistema nervoso periféricos;
- Conhecer as funções do cérebro, cerebelo e bulbo;
- Caracterizar a medula espinhal, nervos e receptores dos sentidos;
- Compreender o sistema hormonal: composição de glândulas e hormônios produzidos;
- Identificar a ação hormonal no desenvolvimento do corpo humano;
- Caracterizar hereditariedade: transmissão de caracteres hereditários;


4º Bimestre
- Perceber a reprodução como fator de perpetuação da espécie;
- Identificar mecanismos naturais inerentes ao processo reprodutivo;
- Compreender sistema reprodutor: características, estruturas e sistema de funcionamento;
- Identificar a fecundação e desenvolvimento embrionário;
- Caracterizar o desenvolvimento do ser humano como ser em necessidade de se perpetuar;
- Fases da vida humana e sua associação aos fenômenos naturais;
- Identificar doenças sexualmente transmissíveis;
- Reconhecer métodos contraceptivos;
- Identificar síndromes associadas à problemas correlatos à fecundação;
- Caracterizar doenças geneticamente transmissíveis como diabetes, câncer e outras doenças.



























8ª SÉRIE - CONTEÚDOS

1º Bimestre
• A matéria como elemento constituinte da matéria
• As propriedades da matéria: físicas, químicas e organolépticas
• A origem do universo como forma de distribuição da matéria
• As transformações físicas e químicas da matéria
• Misturas e combinações da matéria
• Elementos químicos mais importantes na composição dos seres vivos.
• O átomo sua estrutura e sua identificação
• Modelos atômicos: Dalton, Rutherford e Bohr e Diagrama de Pauling
• Históricos da tabela periódica dos elementos químicos
• Os elementos químicos – classificação em metais, semi-metais, não-metais e gases nobres

2º Bimestre
• As ligações químicas como forma de estruturação de infinitos compostos
• Ligação covalentes: normal e dativa
• Ligação iônica
• Formação das substâncias
• Distribuição eletrônica pelo diagrama de Pauling
• Casos especiais de ligações químicas
• Os processos de fracionamento de misturas
• Misturas e combinações como forma de geração de novas substâncias
• As diferentes substâncias em nossa vida
• Fórmulas químicas como meio de representar uma substância e as ligações que a constituem

3º Bimestre
• Estudo da física – histórico
• Implicações da física no cotidiano das pessoas
• Conceitos básicos da cinemática
• O movimento como forma de aplicação de conceitos físicos
• As modalidades de movimento e suas implicações na vida econômica
• A velocidade como elemento básico da utilização dos movimentos
• Cálculo da velocidade
• A aceleração como variante da velocidade
• Estudo do movimento
• Estudo das forças e suas unidades de medida
• Leis de Newton como teorização dos conceitos de força e movimento


4º Bimestre

• Energia como manifestação da aplicação das forças sobre os corpos
• Trabalho como resultado da aplicação das forças
• Potência como variável das forças e dos trabalhos resultantes
• O calor como forma de energia
• Elementos transmissores e isolantes do calor
• O calor e sua aplicação no cotidiano humano
• O som como forma de aplicação da energia
• O som e sua aplicação no cotidiano
• A transmissão do som por meio de ondas
• A eletricidade, sua origem e aplicação na vida econômica.
• Formas de transmissão de eletricidade
• Materiais isolantes elétricos
• O magnetismo e sua importância para a vida na terra.
• A lei de Gravidade e sua implicação em relação ao funcionamento do Sistema Solar



























8ª SÉRIE – OBJETIVOS

1º Bimestre
- Caracterizar a matéria como elemento constituinte da matéria;
- Identificar as propriedades da matéria: físicas, químicas e organolépticas;
- Compreender a origem do universo como forma de distribuição da matéria;
- Diferenciar as transformações físicas e químicas da matéria;
- Caracterizar misturas e combinações da matéria;
- Identificar os elementos químicos mais importantes na composição dos seres vivos;
- Reconhecer átomo sua estrutura e sua identificação;
- Diferenciar modelos atômicos: Dalton, Rutherford e Bohr e Diagrama de Pauling;
- Compreender históricos da tabela periódica dos elementos químicos;
- Caracterizar elementos químicos – classificação em metais, semi-metais, não-metais e gases nobres;

2º Bimestre
- Compreender as ligações químicas como forma de estruturação de infinitos compostos;
- Caracterização de ligação covalente: normal e dativa;
- Conhecer ligação iônica;
- Reconhecer o processo de formação das substâncias;
- Compreender a distribuição eletrônica pelo diagrama de Pauling;
- Identificar casos especiais de ligações químicas;
- Reconhecer os processos de fracionamento de misturas;
- Diferenciar misturas e combinações como forma de geração de novas substâncias;
- Compreender a função das diferentes substâncias em nossa vida;
- Compreender fórmulas químicas como meio de representar uma substância e as ligações que a constituem;


3º Bimestre
- Enunciar o estudo da física – histórico;
- Compreender as implicações da física no cotidiano das pessoas;
- Identificar os conceitos básicos da cinemática;
- Compreender o movimento como forma de aplicação de conceitos físicos;
- Reconhecer as modalidades de movimento e suas implicações na vida econômica ;
- Caracterizar a velocidade como elemento básico da utilização dos movimentos;
- Compreender o cálculo da velocidade;
- Reconhecer a aceleração como variante da velocidade;
- Caracterização do movimento;
- Compreender as forças e suas unidades de medida;
- Identificar as leis de Newton como teorização dos conceitos de força e movimento;


4º Bimestre

- Identificar a energia como manifestação da aplicação das forças sobre os corpos;
- Compreender trabalho como resultado da aplicação das forças;
- Estabelecer a potência como variável das forças e dos trabalhos resultantes;
- Compreender o calor como forma de energia;
- Diferenciar elementos transmissores e isolantes do calor;
- Reconhecer o calor e sua aplicação no cotidiano humano;
- Identificar o som como forma de aplicação da energia;
- Caracterizar som e sua aplicação no cotidiano;
- Identificar formas de transmissão do som por meio de ondas;
- Compreender a eletricidade, sua origem e aplicação na vida econômica;
- Conhecer formas de transmissão de eletricidade;
- Identificar materiais isolantes elétricos;
- Caracterizar p magnetismo e sua importância para a vida na terra;
- Compreender a lei de Gravidade e sua implicação em relação ao funcionamento do Sistema Solar;




















OBJETIVOS DOS CONTEÚDOS TRATADOS NAS SÉRIES FINAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL – DISCIPLINA DE CIÊNCIAS

Os conteúdos acima nomeados e distribuídos nas diferentes séries finais do Ensino Fundamental traduzem uma série de objetivos comuns que passaremos a relacionar:
1. Sensibilizar o educando e a educanda para a necessidade de se situar no ambiente como parte integrante deste;
2. Fazer do ensino de ciências, uma prática de defesa de valores éticos e planetários;
3. Identificar as implicações econômicas e ecológicas das diferentes ações do homem sobre os recursos provenientes da natureza;
4. Perceber a necessidade de se compreender conceitualmente os fenômenos inerentes aos processos e fenômenos naturais;
5. Fazer do conhecimento científico um instrumento de preservação da vida;
6. Compreender a ciência como uma das formas de conhecer e compreender os processos ocorridas na natureza;
7. Comprometer-se com a necessidade de promover ações em favor da preservação e conservação de seres vivos, fontes de matéria-prima e energia, como forma de garantir a sobrevivência da humanidade;
8. Identificar a diversidade como grande riqueza e garantia da perpetuação da vida no planeta;
9. Inserir o ser humano no contexto ambiental, não como mero usuário, mas como dependente e parte de um ciclo de vida dinâmico e contínuo;
10. Identificar possibilidades para que cada sujeito seja responsável pela vida nas mais diversas formas de manifestação;
11. Respeitar a biodiversidade e a dinâmica dos processos naturais;
12. Dinamizar discussões éticas, sociais e políticas que possam garantir à humanidade condições mínimas de adoção de novas estratégias para a utilização de recurso e fontes de recursos materiais e energéticos;
13. Compreender a multiplicidade de aplicações de conceitos e suas inter-relações possíveis no sentido de fazer da ciência um instrumento de (re)construção de paradigmas;
14. Identificar o processo educativo, como uma ação transdisciplinar, dinâmica, não-linear, ética e humana;
15. Conhecer mecanismos de mudança no perfil da vida como a evolução (biológica) e a dialética (filosófica), capazes de transformar conceitos e aplicações.

Há uma grande quantidade de outros objetivos, implicando na definição de certos conceitos e metodologias, porém, deseja-se esclarecer que os supra citados se aplicam de forma genérica a todos os conceitos relacionados bimestralmente para cada série.

Desta forma as circunstâncias, os fatos e as necessidades serão os ditames para a reformulação permanente e sensível deste planejamento, assim como dos aspectos avaliativas que discutiremos a seguir.



ESTRATÉGIAS DE AVALIAÇÃO

A avaliação sempre representou um grande desafio ao educador uma vez que ela pode traduzir um resultado nem sempre favorável ao trabalho realizado e geralmente é traumática para o discente. Por outro lado se sabe que a avaliação está sempre presente na vida humana. Espera-se que a avaliação se torne parte de um processo que permita aos participantes crescer e não apenas encontrar culpados, pois o que se deve fazer é construir uma nova realidade.

Conforme afirma DIAS SOBRINHO (2000 p. 80) “é não só possível como também desejável a combinação de metodologias, de origem racional e positivista, como os de orientação qualitativa e sentido social e político”. Embora tratem da educação superior pode-se dizer que esta á uma excelente regra que vale para qualquer tipo de avaliação.

O processo avaliativo, como é de ciência dos educadores, vem sendo incrementado por novos modelos e metodologias que buscam transformar a avaliação que para muitos é um meio de repressão num mecanismo de análise de todo o processo de aprendizagem, servindo de termômetro para todos os envolvidos. Porém não podemos ficar apenas no termômetro que sinaliza o problema, mas no medicamento que cura e melhor ainda, no que previne para que não precisemos medicar.

A avaliação em Ciências, como em qualquer disciplina curricular é uma constante e se constituirá dos seguintes elementos:
 Uso de vídeos, DVDs de conteúdo didático (TV Escola);
 Utilização da sala de informática e dos recursos de software e hardware disponíveis;
 Leitura e interpretação de textos complementares ao livro didático;
 Elaboração de esquemas-resumo e gráficos representativos;
 Organização de trabalhos entregues on-line ou de forma magnética
 Elaboração e explicação oral de trabalhos;
 Correlação interdisciplinar em determinados assuntos;
 Provas escritas.




OBRAS RECOMENDADAS


AMABIS, José Mariano & MARTHO, Gilberto Rodrigues. Fundamentos da Biologia Moderna. São Paulo: Moderna. 1995.

BRITO, Elis Avancini & FAVARETTO, José Arnaldo. Biologia, uma abordagem evolutiva e ecológica. São Paulo: Moderna. 1997.

GUYTON, Arthur. Fisiologia humana. 6ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 1998.

JOLY, Aylthon Brandão. Botânica: introdução a taxonomia vegetal. 12ª edição. São Paulo: Companhia editora nacional. 1998.

JUNQUEIRA, L. C. e CARNEIRO, José. Histologia básica. 9ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 1999.

MARCONCES, Ayrton. Biologia. São Paulo: Atual, 1999.

PAULINO, Wilson Roberto. Biologia. São Paulo: Ática. 2000.

RAVEN, Peter et al. Biologia vegetal. 5ª edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan. 1998.

SOARES, José Luis. Biologia. São Paulo: Scipione. 1999.





REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS E LEITURAS RECOMENDADAS



BOFF, Leonardo. Saber cuidar: ética do humano - compaixão pela terra. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

____________. Ecologia, mundialização e espiritualidade: a emergência de um novo paradigma. 2ª edição. São Paulo: Ática. 1996.

BRÜGGER, Paulo. Educação ou adestramento ambiental? 2ª edição. Florianópolis (SC): Letras contemporâneas, 1999.

CAIRNCROSS, Francês. Meio ambiente: custos e benefícios. Tradução: Cid Knipel Moreira. São Paulo: Nobel, 1992.

DIAS, Reinaldo. Gestão ambiental: responsabilidade social e sustentabilidade. São Paulo: Atlas, 2006.

DIAS SOBRINHO, José. A avaliação da educação superior. Petrópolis: Vozes. 2000.

D’AMBRÓSIO, Ubiratan. Educação para uma sociedade em transição. Campinas, SP: Papirus. 1999.

FROTA-PESSOA, Oswaldo, GEVERTZ, Rachel, SILVA, Ayrton Gonçalves da. Como ensinar ciências. 3ª edição. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1979.

GUATTARI, Félix. As três ecologias. Tradução: Maria Cristina F. Bittencourt. Campinas: Papirus, 1990.

GURGEL, Célia Margutti do Amaral. A experimentação em sala de aula e a construção do conhecimento pelo aluno. In: O livro da experimentoteca: educação para as ciências da natureza através de praticas experimentais. Piracicaba (SP): UNIMEP/USP/VITAE, 2000.

LEMOS André L.M. As estruturas antropológicas do cyberespaço. Dispnível em: http://www.facom.ufba.br/pesq/cyber/lemos/estrcy1.html. Acessado em: 28/02/06 as 15h


MONTIBELLER FILHO, Gilberto. O mito do desenvolvimento sustentável: meio ambiente e custos sociais no moderno sistema produtor de mercadorias. 2ª edição revisada. Florianópolis: Editora da UFSC, 2004.



ANEXO I


Projeto Com-vivendo I
(Visita ao Zoológico de Pomerode)



Benedito Novo
Fevereiro, 2010


Introdução

O projeto Projeto Com-vivendo I deseja oferecer oportunidades aos educandos e educandas de identificar elementos teóricas e metodológicos do conteúdos de ciências da 6ª série. Partindo de sua realidade pessoal e social serão produzidos e executadas ações que possam reduzir o impacto ambiental produzido pela sua existência e de sua família junto a natureza. Para tanto será organizada uma viagem de estudos ao Zoológico de Pomerode após a qual haverá a elaboração de atividades como cartazes, textos e outras formas de apresentação onde serão discutidos valores como ação humana e ética ecológica. Após conhecer estes conceitos o educando é conduzido a buscar junto a sua realidade sensibilizando-o para a preservação e recuperação ambiental.

Objetivo Geral


Objetivos Específicos

- Identificação de situação-problema no contexto vivido pelo educando;
- Compreensão dos danos ambientais considerando aspectos operacionais e legais;
- Identificar a relação entre concepções ecológicas e a sobrevivência humana;
- Perceber a relação constante entre gestão de fontes e recursos naturais e sustentabilidade;
- Compreender os limites do processo de utilização de fontes e recursos naturais e a sobrevivência planetária;
- Construir coletivamente possíveis caminhos para soluções eficientes, eficazes e efetivas no sentido de garantir a sobrivência da empresa ou organização e do planeta;
- Vislumbrar a sustentabilidade como compromisso econômico, social, político, humano e ético.


Justificativa
.
O debate atual sobre desenvolvimento transcende os limites dos conceitos restritos a questões ligadas a produção e consumo de bens e serviços. Fruto desta transcendência temos discussões ligadas ao convívio harmônico entre os diferentes tipos de seres vivos, incluindo o ser humano. Partindo deste debate parte-se para a execução de projetos como o da visita ao Zoológico de Pomerode, onde é possível identificar as diferentes formas de vida animal e sua relação com o meio ambiente. Assim o Projeto Com-vivendo I (Visita ao Zoológico de Pomerode) implementará junto a realidade de cada educando considerando aspectos sociais, econômicos, legais e éticos.

Conteúdos

- Diversidade animal.
- Relação entre os animais e o meio ambiente.
- Relação entre os animais e o ser humano.
- Ações de preservação e recuperação ambiental.
- Cuidados com animais em cativeiro.
- Valores éticos na relação homem-natureza.


3.5 Avaliação

O educando será avaliado da seguinte forma:
- elaboração de texto com temas na área ambiental.
- elaboração de cartaz referente a visita.
- debate sobre o que foi visto na visita.



ANEXO II


Projeto Com-vivendo II
(Visita a SANTUR e ao Parque UNIPRAIAS)



Benedito Novo
Fevereiro, 2010


Introdução

O projeto Projeto Com-vivendo II deseja oferecer oportunidades aos educandos e educandas de identificar elementos teóricas e metodológicos dos conteúdos de ciências da 7ª série. Partindo de sua realidade pessoal e social serão produzidos e executadas ações que possam reduzir o impacto ambiental produzido pela sua existência e de sua família junto a natureza. Para tanto será organizada uma viagem de estudos ao Parque Ecológico a Santur e ao Parque UNIPRAIAS, na cidade de Balneário Camboriú, após a qual haverá a elaboração de atividades como cartazes, textos e outras formas de apresentação onde serão discutidos valores como ação humana e ética ecológica. Após conhecer estes conceitos o educando é conduzido a buscar junto a sua realidade sensibilizando-o para a preservação e recuperação ambiental.

Objetivo Geral

Oferecer oportunidades aos educandos e educandas de identificar elementos teóricas e metodológicos dos conteúdos de ciências da 7ª série.

Objetivos Específicos

- Identificação de situação-problema no contexto vivido pelo educando;
- Compreensão dos danos ambientais considerando aspectos operacionais e legais;
- Identificar a relação entre concepções ecológicas e a sobrevivência humana;
- Perceber a relação constante entre gestão de fontes e recursos naturais e sustentabilidade;
- Compreender os limites do processo de utilização de fontes e recursos naturais e a sobrevivência planetária;
- Construir coletivamente possíveis caminhos para soluções eficientes, eficazes e efetivas no sentido de garantir a sobrivência da empresa ou organização e do planeta;
- Vislumbrar a sustentabilidade como compromisso econômico, social, político, humano e ético.


Justificativa
.
O debate atual sobre desenvolvimento transcende os limites dos conceitos restritos a questões ligadas a produção e consumo de bens e serviços. Fruto desta transcendência temos discussões ligadas ao convívio harmônico entre os diferentes tipos de seres vivos, incluindo o ser humano. Partindo deste debate parte-se para a execução de projetos como o da visita à cidade de Balneário Camboriú, onde é possível identificar as diferentes formas de vida animal e sua relação com o meio ambiente. Assim o Projeto Com-vivendo II (Visita a SANTUR e ao Parque UNIPRAIAS) implementará junto a realidade de cada educando considerando aspectos sociais, econômicos, legais e éticos.

Conteúdos

- Diversidade animal.
- Relação entre os animais e o meio ambiente.
- Relação entre os animais e o ser humano.
- Ações de preservação e recuperação ambiental.
- Cuidados com animais em cativeiro.
- Valores éticos na relação homem-natureza.


Avaliação

O educando será avaliado da seguinte forma:
- elaboração de texto com temas na área ambiental.
- elaboração de cartaz referente a visita.
- debate sobre o que foi visto na visita.




ANEXO III



Projeto Com-vivendo III
(Projeto para o dia do Meio Ambiente)



Benedito Novo
Fevereiro, 2010


Introdução

O projeto Projeto Com-vivendo III deseja oferecer oportunidades aos educandos e educandas de implementar projetos de aplicação prática utilizando os conteúdos das próprias séries na disciplina de ciências alinhadas à problemática ambiental. A temática dos projetos será distribuída da seguinte forma:
- 5ª série: herbário, terrário, maquetes inditificando mata ciliar e matas nativas da região do Vale do Itajaí.
- 6ª série: edição de panfletos e materiais informativos sobre doenças causadas por agentes bióticos; minhocário; visitação ao Zoológico de Pomerode.
- 7ª série: identificação das principais ações antrópicas sobre o planeta, relação das doenças humanas e o meio ambiente; visitação ao Parque da SANTUR e ao Parque UNIPRAIAS.
- 8ª série: explicar como funcionam processos químicos e físicos criados ou dominados pelo ser humano.
Partindo de sua realidade pessoal e social serão produzidos e executadas ações que possam reduzir o impacto ambiental produzido pela sua existência e de sua família junto a natureza.

Objetivo Geral

Oferecer oportunidades aos educandos e educandas de implementar projetos de aplicação prática utilizando os conteúdos das próprias séries na disciplina de ciências alinhadas à problemática ambiental.

Objetivos Específicos

- Identificação de situação-problema no contexto vivido pelo educando;
- Compreensão dos danos ambientais considerando aspectos operacionais e legais;
- Identificar a relação entre concepções ecológicas e a sobrevivência humana;
- Perceber a relação constante entre gestão de fontes e recursos naturais e sustentabilidade;
- Compreender os limites do processo de utilização de fontes e recursos naturais e a sobrevivência planetária;
- Construir coletivamente possíveis caminhos para soluções eficientes, eficazes e efetivas no sentido de garantir a sobrivência da empresa ou organização e do planeta;
- Vislumbrar a sustentabilidade como compromisso econômico, social, político, humano e ético.


Justificativa
.
O debate atual sobre desenvolvimento transcende os limites dos conceitos restritos a questões ligadas a produção e consumo de bens e serviços. Fruto desta transcendência temos discussões ligadas ao convívio harmônico entre os diferentes tipos de seres vivos, incluindo o ser humano. Partindo deste debate parte-se para a execução de projetos ligados a questão ambiental aplicando-os no contextos dos alunos. Assim o Projeto Com-vivendo III (Projeto para o dia do meio ambiente) implementará junto a realidade de cada educando considerando aspectos sociais, econômicos, legais e éticos.

Conteúdos

- 5ª série: os recursos naturais e o reino plantae e suas formas ação no meio ambiente.
- 6ª série: vírus e os reinos monera, protista, fungi animalia e possíveis intervenções em relação ao meio ambiente.
- 7ª série: o corpo humano e implicações ambientais.
- 8ª série: sustâncias e fenômenos químicos e sua intervenção nos processos biológicos. Processos físicos e suas intervenções nos processos biológicos.


Avaliação

O educando será avaliado da seguinte forma:
- elaboração de texto de projeto com temas na área ambiental.
- aplicação do projeto na realidade vivida pelo aluno.
- debate sobre o que foi visto na visita.

Nenhum comentário:

Quem sou eu

Minha foto
Benedito Novo, Santa Catarina, Brazil
Sou Mestre em educação, graduado em Biologia e Matemática, professor da rede estadual de Santa Catarina, com experiência em educação a distância, ensino superior e pós-gradução. Sou autor e tutor de cursos na área da educação no Instituto Veritas (Ascurra) e na Atena Cursos (Timbó). Também tenho escrito constantemente para a Coluna "Artigo do Leitor" do "Jornal do Médio Vale" e para a revista eletrônica "Gestão Universitária". Fui diretor da EEB Frei Lucínio Korte (2003-2004) e secretário municipal da Educação e Promoção Social de Doutor Pedrinho (2005). Já atuei na rede municipal de ensino de Timbó. Em 2004 coordenei a campanha que conduziu à eleição do Prefeito Ercides Giacomozzi (PMDB) à prefeitura de Doutor Pedrinho. Em 2011 assumi pela segunda vez, a direção da EEB Frei Lucínio Korte.